domingo, 30 de agosto de 2009

Tratado com um ladrão qualquer


O deputado federal José Otávio Germano (PP), um dos principais acusados na ação de improbidade administrativa impetrada pelo Ministério Público Federal, promoveu em Cachoeira do Sul, sua principal base eleitoral, uma churrascada com mais de 380 quilos de carne. Tudo ao melhor estilo da política tradicional.

Entre os participantes estavam 54 prefeitos e 86 vereadores do PP e outros partidos da base de apoio do governo Yeda. Mas o melhor da festa parece ter sido as pérolas proferidas nos discursos.

O senhor sempre cuidou da gente. Agora, vai ser ajudado por nós — prometeu Valdir Kirst, vereador do PP em Não-me-toque. Como assim cuidou da gente? O ilustre edil poderia ser mais específico?

E o ponto alto da festa, sem dúvida foi o pronunciamento do réu José Otávio Germano que disse:
Depois de 50 anos de vida, estou sendo tratado como um ladrão qualquer. Eu cuido da minha defesa, vocês cuidam da minha campanha à reeleição .

Apoiamos integralmente o pensamento do deputado José Otávio Germano. Alguém acusado de um crime de tamanha gravidade, com um nível superior de organização e sofisticação, que supostamente envolveu agentes públicos de primeira grandeza e resultou em prejuízo milionário ao patrimônio público, não pode ser tratado como um "ladrão qualquer". Trata-se de um caso de alta periculosidade social que deveria ser tratado com prioridade pelas autoridades, com punição célere, dura e exemplar aos culpados.

Infelizmente, a aplicação da previsão constitucional que garante a todos igualdade perante à lei continua um desafio para o nosso aparato jurídico. O sentimento de impunidade que impera na nossa sociedade também é fruto dessa eficiência seletiva. Um sistema jurídico cuidadosamente construído para ser eficiente apenas na punição de "ladrões de galinha".

8 comentários:

vitorino "milico" mesquita disse...

Partisan: o evento político foi patrocinado por quem? Doações, vaquinha? A fiscalização é só em época de campanha? Mas foi uma atividade política e ...

Marcelo disse...

Pois é, mais um falha da nossa imparcial, neutra, democrática, plural, diversa, .... imprensa. Imagino que ele tenha comprado as vaquinhas com um empréstimo consignado, a exemplo da explicação que deu para variações patrimoniais apontadas pelo MP.

Anônimo disse...

Fala liderança!

Anônimo disse...

Taí no que dá o generoso "auxilio alimentação" de R$10.000 por mês para suas excremências. Vão usar o dinheiro para continuar com a sacanagem.

Anônimo disse...

A fraternidade dos ladrões sem-vergonhas se reune para desaforar a sociedade de bem.
Até quando liderança, desafiarás nossa paciência?
Até quando insultarás nossa sociedade com seus cadernos e flores ?

Fred disse...

Se procurarem nos contratos e concessionários de pedágios acharam muito, mas muito mais. O DETRAN ficará pequenininho.

Carlos Eduardo da Maia disse...

Se existe uma pessoa que eu torço para não ser eleito é José Otávio Germano.

Fred disse...

O cara tá com os bolsos cheios para a eleição. Dúvido que não se reeleja. Nesse nosso sistema político é o dinheiro quem manda no processo eleitoral.

Seguidores

Direito de Resposta do Brizola na Globo