sexta-feira, 26 de junho de 2009

Lembrete


Alguém tem que avisar ao senador Pedro Simon (PMDB) que o presidente do senado, José Sarney, é do seu partido, o PMDB. Simon é correligionário de Sarney e integrante do senado há quase duas décadas. Por essas razões é lógico que Simon também deve explicações à sociedade sobre os fatos que envolvem àquela casa. Chega de teatro!
Obs: na foto o Senador Simon com seu partidário deputado Eliseu Padilha. Padilha tem sido alvo de diversas denúncias no Estado. Seria interessante saber qual a opinião do senador sobre esses fatos. Seria também contrário as investigações como no caso da CPI da corrupção no Estado?

3 comentários:

Carlos Eduardo da Maia disse...

Falam mal do Simon, mas ontem ele tocou na veia. Foi o único senador que falou o que o povo quer dizer. Sarney, pede para sair....O Sarney sempre foi da Arena, do PDS e passou para o PMDB para assumir a presidência. Fez o pior e mais medíocre governo da história da república. Sempre esteve no poder, nos anos FHC e nos anos Lula. Sempre esteve lá e encarna o que há de mais podre na política brasileira.

Anônimo disse...

Ele poderia falar da corrupção no governo Yeda, do seu amigo Eliseu Padilha. Figura que foi central na eleição tanto de Yeda quanto do Fogaça. Como diz o capitão nascimento, Simon "o senhor é um fanfarrão". Ou pior que isso.

Job disse...

"O Sarney sempre foi da Arena, do PDS e passou para o PMDB para assumir a presidência. Fez o pior e mais medíocre governo da história da república. Sempre esteve no poder, nos anos FHC e nos anos Lula. Sempre esteve lá e encarna o que há de mais podre na política brasileira". E o Simon desde a "Nova República sempre esteve ao lado do "sir"Ney. Por que só agora quer criticá-lo? Para aparecer na mídia como "paladino da ética" como sempre? Só não explica porque não quer CPI. Mas nem precisa, não é mesmo? À propósito Maia, qunado vais explicar se continuas a apoiar ou não a desgovernada?

Seguidores

Direito de Resposta do Brizola na Globo